Apesar de terem a mesma origem, no braguinha português, os dois instrumentos compartilham poucas semelhanças. Fiz uma lista (incompleta) das diferenças que eu pensei. Caso tenha alguma outra sugestão ou observação, deixe nos comentários!

Encordoamento

Ukulele: utiliza encordoamentos com características que se assemelham às propriedades de uma corda de tripas animais, como nylon e outras formulações sintéticas.

Cavaquinho: cordas de aço de alta tensão.

Afinação

Ukulele: O ukulele é usualmente afinado nas notas G4 C4 E4 A4, sendo possível também A4 D4 F#4 B4. Na variação com a quarta corda grave (“Low G”, “Low A”), afina-se G3 C4 E4 A4 (mais comum) ou A3 D4 F#4 B4 (menos comum). Finalmente, há a afinação mais difundida do ukulele barítono: D3 G3 B3 E4.

Cavaquinho: D4 B4 G4 D5 ou, menos usualmente, D4 B4 G4 E5 (neste caso, uma oitava acima do ukulele barítono ou uma quinta acima da afinação “Low G”).

Tamanho

Ukulele: soprano, concert, tenor e barítono são os mais usuais e representam diferenças (não tão rígidas) de tamanho do bojo e comprimento de escala.

Cavaquinho: Apesar de possuir bojos de tamanhos diferentes, não existe toda a variedade de tamanhos do ukulele. O comprimento de escala é usualmente de 17″, a mesma do ukulele tenor.

Tocabilidade, versatilidade etc

Ukulele: Utilizado largamente na música havaiana, jazz, indie e pop. Utilizado muito mais como um instrumento rítmico, de acompanhamento. Toca-se usando os dedos.

Cavaquinho: Utilizado na música brasileira e portuguesa, funciona como instrumento melódico, solista ou ritmico. Em geral toca-se utilizando uma palheta, embora músicos portugueses dedilhem.

Sonoridade

Ukulele: Sonoridade mais delicada, suave.

Cavaquinho: Som cortante, com muito volume.

Anúncios